terça-feira, 14 de setembro de 2010

Gullar revisitado

Mas é que a 
felicidade
é sempre
tão
TANTA
que
essa sim
senhores
não cabe
nunca
no 
poema!

Um comentário: