sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Índio: que é índio?!




"Índio que é índio
Anda pelado
Ou veste tanga
Mora na floresta
Em casa de palha
Tem cara pintada
Não sai do mato
Come mandioca
Usa cocar e apito
Caça de arco e flecha
E se chama Iracema
Ou Guaraci".
Já que branco que é branco
Anda de carruagem
Viaja de caravela
Se comunica por carta
Ou pombo correio
Mora em castelo
Defende seu rei
O enviado de Deus
Usa ceroula
E fala vosmecê.

Mas índio que é índio
Anda aqui do lado
Nem tem mais floresta
Que agora é clarão
Pasto, soja ou favela
Morre de grilagem
De fome, abandono
Desespero e de guerra
Quando não consegue
Nem um pedaço de terra
Que sempre é demasiada
Pra tão pouco índio
(Se morrerem mais rápido
Dá pra economizar!)

Pois desde 1500
Quando o branco descobriu
O Brasil varonil
Lugar de índio
- "índio de verdade" -
É bem longe no mato
No museu, nos romances
Na peça do colégio 
Nas novelas da Globo
E no 19 de abril.

No resto do tempo
Nada lhe resta
Do direito de ser índio
- Leia-se de sobreviver
Já que o que é ser índio
Pelo visto quem diz
É você.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Sol majestade



Precisa ver que maravilha
É o sol pós chuva
Do outubro de Brasília
Porque brilha corajoso
Com vontade.

Até parece que na vida –
Ou até o fim da tarde –
Nunca mais irá chover.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Amplexo


... (                             Todo meu querer
É que te quero                         Enquanto amanheço
Entre parênteses                      Convexa nas côncavas
Guardados nas                         Covinhas de teu riso
Sombras do eclipse                 Que espreito no escuro
Que espreita o futuro               Pra que nos demore o tempo
E que demore o tempo            Discreto amuleto
De um beijo                             Guardadas na
Ou de uma vida                       Luz de um beijo
Todas as vidas
) ...