domingo, 27 de janeiro de 2013

Heranças


São dela a pele alva
O nariz afilado
As sobrancelhas
Pouco arqueadas
O andar firme
De quem pisa
Nas aflições
E as recolhe todas
Coloca nas costas
Entalha nos corações
Carrega consigo
Adiante, além

A voz agravada
É dela também
A boca que não pega batom
O estômago fraco
O sono leve
O fogo na verve
A tagarelice
O pragmatismo
Um ingênuo otimismo
Um perene saudosismo
Aguente, avante, amém

Se deveras quem
Segue os seus
Não degenera
Está posto
No rosto, na alma,
No jeito, nos gostos
Todo amanhã
Que me espera
Em todo recomeço
De primavera
Com toda urgência
Toda querela
Sou todo o tudo
Que ela
Me dera

Só me resta
Dizer quem me dera
Te ser
Mãe
Ai, quem me dera...

Um comentário:

  1. Linda, forte, determinada, inteligente como a mãe.
    Bela herança!!
    Palavras de Oneide

    ResponderExcluir