domingo, 10 de julho de 2011

Desmedida

"Eu sou sua alma gêmea
Sou sua fêmea
Seu par, sua irmã
Eu sou seu incesto
Sou igual a você
Eu nasci pra você
Eu não presto
Eu não presto"
[Chico Buarque - Sob medida]

Verdade que te deixo com vontade 
E um gostinho de sempre quero
E por mais que queira
Nem sempre supro
E por mais que arda
Nem sempre sopro
E quando o corpo reclama
A boca retrai, e ai! 
Mordo a língua
E nem dói tanto
O frio bate
E nem tem manto
Sou ser humano
Não sou santo! 
Quanto mais te quero
Mais te afasto
E te busco
E me escondo
Eu maltrato
Te cuidando 
Eu te aprovo
Não falando
Eu te testo

Não sei se te amo
Sei bem que eu não presto.

Um comentário:

  1. Num mundo com pouco ou nenhum sentido, ou no qual não o encontramos, ser mau é afirmar algo quando ninguém o faz, não prestar é tomar os pecados dos outros para si, porque alguém precisa exibi-los e afirmar a nossa humanidade-animalesca. Cada dia mais, vejo se despedindo da bondade, que nós humanos nunca tivemos, os que querem não prestar.

    bjo, querida amiga.

    ResponderExcluir