quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Para Ju

Que ainda não sabe ler
(Mas é sabida que só!)

"É comum a gente sonhar, eu sei, quando vem o entardecer
Pois eu também dei de sonhar um sonho lindo de morrer
Vejo um berço e nele eu me debruçar com o pranto a me correr
E assim chorando acalentar o filho que eu quero ter"
[Vinícius de Moraes - O filho que eu quero ter]

Recostada ela cochila em meu ventre
Com dedos passeio nos cabelos seus
Quisera restar aqui para sempre
Na doce companhia - e macia! - destes camafeus.

Admirada suspiro tranquila
Quase esqueço a hora do adeus
Inebriada pela camomila
Que exala e enfeitiça nobres e plebeus.

És do mundo a oitava maravilha
Perfeita obra prima de Deus.

Te chamo, meu bem, quase filha
Te amo muito mais do que eu...

Um comentário: