segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011


Ao meu vô Daniel, 
com toda a minha saudade 
e admiração
pelos seus 82 anos
e outros tantos que virão.
 

Os avôzinhos
São feitos de uma substância
Que tem um quê de querência
Um susto de sustância
E sopro de pura infância
Contra o tique besta do relógio.

Presença de muita relevância
Dos idos tempos de criança
Em dunas, castelos de almofada e varianças
E nas danças do colégio.

Com uma firmeza que não se encerra
E uma grandeza que não se toca
Conquistou uma rainha, mundos, fundos e corações.
Ele veio lá da Meruoca
Casinha humilde meio à serra
Longe que nem um impropério.

Pois o meu vô é um caso sério
Matéria de sonhos e canções
Por tudo isso e o que não sei...

Márrapaz...
Que descoberta!
Capaz de num ser vô, mas rei!

5 comentários:

  1. Natália, seu avô Daniel também é meu Rei de um castelo onde vocês são as flores que sustentam a manutenção do reinado.
    Que se conserve em sua memória a beleza de seus pensamentos recheados pelo nosso amor e pela nossa amizade.
    Beijos da avó Oneide.

    ResponderExcluir
  2. Amei....Bjs. Tia Glenda

    ResponderExcluir
  3. Filha querida,
    O "rei" que nesta oração vejo também ser seu, há tempos protagonizou meus mais belos sonhos de criança, garantindo que tudo parecesse real, inabalável, concreto, mesmo que tudo fosse apenas um cenário. Com sua alegria transparente e simplicidade única fez de nossa convivência um aprendizado diário de valores, de princípios e de amor. Sem saber, na minha inocência, sentia-me "filha do rei" e essa sensação me faz feliz e segura até hoje.
    Bjs
    Mamãe

    ResponderExcluir
  4. adorei o quê de querência, hahaha :D

    ResponderExcluir