sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Um galo sozinho não tece uma manhã...

Se tenho uma certeza é do quanto conversar é bom. O quanto o diálogo enriquece o canto, o quanto cantar junto é bem mais divertido que um solitário à capela. Com isso em mente, pensei nos quadrinhos que se situam abaixo de cada texto, como formas de saber como os meus sentimentos, as minhas lembranças, as minhas vontades, que aqui busco traduzir, afetam você que gentilmente escuta o meu canto (e muitas vezes, meu desafinamento, meu grito, minha tagarelice ou meu desejo desesperado de calar a boca). Muita gente escreve para se fazer ouvir. Eu escrevo para me fazer calar um pouco, para transbordar isso tudo que me preenche, expulsar das entranhas, antes que eu morra afogada e rouca. E eu escrevo também para conversar.

Assim, esteja sempre à vontade para comentar, criticar, sugerir, falar de algo nada a ver que veio à mente, algo que aconteceu no dia, algo parecido que viveu... As coisas que planto aqui nos meus canteiros são, para mim, como mudinhas que precisam da atenção de um jardineiro para que vinguem e, quem sabe até, com sorte, um dia floresçam. Os quadrinhos "No seu canteiro foi..." servem de mera sugestão e provocação, sendo uma opção para os dias mais corridos. Semente, se despertarem algo novo; adubo, se contribuírem para que algum sentimento/idéia pré-existente, pré-conhecido, tome forma  e se desenvolva; flor, se  enfeitarem algo que já está pleno e consolidado dentro de você; praga, se fizerem mal, machucarem, contaminarem o seu "jardim interior". É meio brega, eu sei, quase ridículo. Mas "todas as cartas de amor são ridículas". E todo lirismo é de amor.

Fica aqui um convite para que você também compartilhe comigo o seu canto, "para que a manhã, desde uma tela tênue, se vá tecendo, entre todos os galos".

3 comentários:

  1. Talvez a palavra "jardineiro" não seja tão explicativa ou mesmo convidativa aos comentários.

    Mas, concordo, quando há interação, é infinitamente melhor. A publicação é sempre uma garrafa no mar, e é ótimo vê-la voltar com outro papel dentro.

    ResponderExcluir
  2. Em resumo: semente, se explodir; adubo, se transformar; praga, se doer; e se for tudo isso junto, flor.

    ResponderExcluir
  3. É sempre bom saber que alguém nos ouve, nos lê,nos acompanha quando realmente queremos companhia! E quem escreve em um blog quer isso: diálogos, troca... Brote sempre suas idéias por aqui,por ali, por aí...

    ResponderExcluir