quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Das preces setembrinas

Quanto desejo de chuvas
E de rebrotos
E de renovos
E de ombros nus
E de amoras
Sobre as raízes descobertas!
[Manoel de Barros - Fragmentos de Canções e Poemas (9)]

Pois foi o que ocorreu
Por certo

Fui pedir a Pedro um amor
E a chuva, roguei ao Antônio

E assim se foi Setembro
Deserto
Num santo erro de endereçamento

2 comentários:

  1. As preces sempre funcionam e - QUE BOM! - não tem prazo de validade.
    Aí está nossa bela chuva, chegada com o mês de outubro, para lavar a alma e a matéria de tudo quanto há neste nosso belo cerrado!!!
    Saudades, menina linda...
    Um beijo e até segunda-feira.
    Cândida.

    ResponderExcluir
  2. Setembro: estive aí (pouquinho, HAHA) e não te vi, esteve aqui e não me viu. BAH!

    ResponderExcluir