sábado, 4 de setembro de 2010

Diagnóstico: paixonite

"A experiência de nada serve à gente.
É um médico tardio distraído:
Põe-se a forjar receitas quando o doente
Já está perdido."
[Da experiência - M. Quintana]

Pois te trato como uma rinite
Que passa com a primavera
E logo não passarás dum pigarro
Irritando minhas cordas vocais

Mas como boa alérgica
De arroubos hipocondríacos
Trago o Sorine na bolsa
Que é pra descongestionar no ato
No caso duma recaída

Aí dá-lhe corticóide na bandida
Duas vezes por dia
Por umas duas semanas 
Talvez um pouco mais

E já eu volto a respirar
Já eu volto a suspirar...

2 comentários:

  1. Se tu deixa de cuidar disso pode até ser que o caso evolua para aquele 'amor que dói'.

    ResponderExcluir
  2. É que o problema está mesmo é no septo desviado. =]

    ResponderExcluir